sexta-feira, Setembro 19, 2014

Facto do dia

A Escócia irá continuar a fazer parte da Coroa Britânica. Os escoceses de parabéns por terem tido o bom senso de não embarcar em aventureirismos e de não terem cegado pela demagogia.
Fica ainda registada uma grande lição de democracia - mais uma - de um reino, um dos mais antigos países do mundo, com instituições históricas e milenares sob as pretensas e ditas repúblicas das liberdades, igualdades e fraternidades.







sexta-feira, Setembro 12, 2014

Câmara aprova valores da Derrama e IMI para 2015





O Município de Alcácer do Sal aprovou, por unanimidade, ontem, dia 11 de Setembro, em reunião de Câmara, o Lançamento da Derrama de 0,25% para os sujeitos passivos com um volume de negócios que no ano anterior não ultrapasse a fasquia dos 150 mil euros. 
Os Municípios podem lançar a Derrama até ao limite máximo de 1,5 % sobre o lucro tributável sujeito e não isento de imposto sobre o rendimento das pessoas colectivas, que corresponda à proporção do rendimento gerado na sua área geográfica por sujeitos passivos residentes em território português que exerçam, a título principal, uma actividade de natureza comercial, industrial ou agrícola, e não residentes com estabelecimento estável nesse território. 

A justificação que o executivo camarário deu para este valor - que baixa de 0,75% para 0,25% - prende-se com as inúmeras dificuldades com que se debatem as micro-empresas sediadas no concelho de Alcácer do Sal. Para valores superiores, o Município decidiu não aplicar a taxa máxima (1,5%), mantendo-se esta em 1%. 
“Mesmo com a diminuição de receitas para o município, esta é, no meu entender, uma medida que ajuda os pequenos empresários a darem a volta à crise”, referiu o Presidente da Câmara Municipal de Alcácer do Sal durante a apresentação da proposta.

Na mesma reunião foi igualmente aprovada a taxa do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) a qual será de 0,8% sobre os créditos avaliados, no caso de prédios rústicos, e de 0,3% no caso de prédios urbanos. 
Vitor Proença justificou esta decisão com o contributo do município no sentido de colmatar as dificuldades económicas dos munícipes, o reconhecimento portanto de que de facto há um considerável número de habitantes no concelho de Alcácer do Sal que passam por dificuldades económicas com as quais se deparam no seu dia-a-dia. 

As propostas aprovadas ontem vão agora à Assembleia Municipal antes de entrarem em vigor.

“Casos bicudos” irão a reunião de Câmara


Um “exemplo daquilo que encontramos naquela divisão” com um “vasto historial”; é assim que a Vereadora responsável pelo pelouro das Obras Municipais, Ana Soares descreveu o ponto 17º da Ordem de Trabalhos da reunião de Câmara realizada ontem, Quinta-feira, referente à análise e votação da proposta referente à empreitada “remodelação da ETAR de Alberge” – Reclamação dos créditos/conclusão do processo. A vereadora referiu que este processo se converteu num imbróglio pois o prazo para executar a obra era de 90 dias e no entanto estava parado nos serviços desde 2009 e que há pagamentos em atraso desde 2008 o que motivou reclamações e protestos da entidade adjudicante.

Confrontada com estas acusações, pela oposição socialista, que governou a câmara nos últimos oito anos, Isabel Vicente, anterior vereadora a tempo inteiro e agora sem pelouros, apenas referiu que não pode contestar as acusações pois não tem conhecimento dessa área porque isso era da competência do seu colega e anterior Vice-Presidente da Câmara, Hélder Serafim.


Ana Soares revelou ainda que no futuro irão aparecer “mais casos bicudos”.

Centro Escolar do Torrão: Câmara obrigada a devolver cem mil euros


A Câmara Municipal de Alcácer do Sal vai ter que devolver 103.358 euros ao FEDER relativos à empreitada do Centro Escolar do Torrão, informou ontem o presidente Vítor Proença em reunião de Câmara.
O edil afirmou que inicialmente o valor que a câmara tinha que devolver era de 128 mil euros mas o valor foi contestado e o município conseguiu ver abatidos cinco mil euros ao valor inicial. Também em relação ao Centro Escolar da Comporta a câmara corre op risco de ter que devolver verbas.
O Centro Escolar do Torrão foi financiado em 80% pelo FEDER tendo sido feita uma candidatura na ordem dos três milhões de euros sendo no entanto o investimento de apenas um milhão porque o pavilhão gimno-desportivo foi excluído tendo sido o financiamento retirado por não estar de acordo com as regras de atribuição de fundos. Para além de ter sido retirado da comparticipação o projecto do pavilhão foram igualmente retirados alguns arranjos exteriores porque apesar destes poderem ser comparticipados, o valor limite foi ultrapassado

quinta-feira, Setembro 11, 2014

COMO SE «QUEIMA» DINHEIRO PÚBLICO II




Pois é, caros leitores, fiquei hoje a saber, e fiquei estarrecido, na reunião de câmara, informação do senhor presidente, que nos últimos meses ia um motorista do município de propósito a Lisboa para entregar a documentação às vereadoras da oposição (PS), Isabel Vicente e Isabel Marçano que por lá habitam.
Mas, aleluia, finalmente fez-se luz! A documentação vai passar a ser entregue por via electrónica e sê-lo-á para toda a vereação.




Estranhamente, e antes de alguém ter chegado à conclusão que estamos no século XXI e que existe uma coisa chamada internet e correio electrónico, não se chegou antes à conclusão de que existia uma outra coisa chamada CORREIOS. Ora porque é que a documentação não seguia por correio registado com aviso de recepção? Melhor ainda, podia ter seguido como EMS (Express Mail Service). Saía certamente muito mais barato e era igualmente eficaz. No dia seguinte à expedição estaria no destinatário. Mas não.
Agora eu pergunto: E SE ELAS EM VEZ DE MORAREM EM LISBOA, MORASSEM NO PORTO, POR EXEMPLO? TAMBÉM IA LÁ ALGUÉM DE PROPÓSITO ENTREGAR A DOCUMENTAÇÃO?




Será que também é assim relativamente aos membros da Assembleia Municipal?

CABECINHAS PENSADOIRAS!


COMO SE «QUEIMA» DINHEIRO PÚBLICO I


Quem for agora à Câmara Municipal de Alcácer do Sal e quem foi antes, há-de reparar que as placas identificativas em acrílico foram todas substituídas. As anteriores eram brancas e tinham o agora proscrito (para sempre?) logotipo que vigorou em Alcácer nos últimos anos. Foram todas substituídas e provavelmente quando mudar a gerência mudarão as plaquinhas outra vez. Isto não é nem pode ser um país a sério. São birrinhas e infantilidades atrás umas das outras. Não há maturidade nem sobriedade que se exigem. Cá estão os parvos e os desempregados para suportarem os caprichos das criancinhas.
Placas novas... ainda por cima cinzento escuro. Que falta de gosto! Mas, por outro lado, não poderia haver melhor escolha: Um futuro cinzento - mas não para todos - é o que esperam os habitantes deste concelho. Tivessem as placas a cor negra e seria o ideal.
Há sempre alguém que repara nos pormenores.
Vamos continuar a apostar no «ora agora danças tu ora agora danço eu» com os resultados que se observam?

Passeio de veículos eléctricos em Alcácer do Sal

Vai realizar-se no próximo Sábado, dia 13 de Setembro, pelas 11 horas, em Alcácer do Sal, um passeio de veículos eléctricos. A iniciativa, intitulada "Rota das Tomadas", consiste num test drive a viaturas eléctricas e decorrerá pela cidade à beira Sado. Com este evento, pretende-se divulgar e sensibilizar a população para a utilização de energias alternativas. O Município de Alcácer do Sal vai associar-se ao evento e pretende tornar-se um concelho mais amigo do ambiente.


quarta-feira, Setembro 10, 2014

In memorian


No próximo Domingo, dia 14 de Setembro, pelas 9 horas e 30 minutos da manhã, na Igreja de S. Francisco, irá ser celebrada uma missa do 7º dia em memória de Jorge Alvarenga, o jovem de 17 anos que perdeu a vida de forma trágica num acidente de mota no passado Sábado, dia 6 de Setembro.

Se o ridículo matasse...

Apagados que estão os holofotes mediáticos e depois de um evento que fez correr muita tinta voltamos ontem, dia 9 de Setembro, à Barragem de Odivelas para verificar in loco se teve consequências o facto de centenas de pessoas terem para ali convergido isto porque a comunicação social entre outras diatribes afirmou convictamente que tal facto traria «graves problemas ambientais». 
De referir que demos uma volta e temos antes de mais que felicitar a câmara de Ferreira e os seus serviços de saneamento - embora haja ainda quem tenha jurado que a câmara de Alcácer também por lá andou a limpar! - pelo trabalho impecável que levou a cabo. De facto, praticamente todo o lixo foi recolhido. Vimos pescadores, vimos peixes na água e até um casal de águias no ar. Afinal o ecossistema desta reserva ecológica (?) não foi afectado. Pena a comunicação social tradicional não voltar lá e verificar. Foi notícia ainda o facto da Associação de Beneficiários da Obra de Rega de Odivelas, proprietária dos terrenos, ponderar avançar com uma queixa caso ficasse lixo no local. Ora o assunto continua em suspenso. Afinal apresentam queixa ou não apresentam queixa? Os órgãos de informação tradicionais deviam procurar a resposta para fechar a notícia. Seja como for, eis o estado em que ficou o local. 
Estranhamente, lixo só junto ao tal ponto de recolha fixo, estipulado pelo município de Ferreira do Alentejo. Será que a recolha de lixo naquele ponto não é diária? E porque é que a câmara não constrói um plataforma para colocar o contentor e de forma mais estável para evitar que este ande sempre de pantanas?


Quem seria que deixou aqui este saco de lixo? Alguém que foi acampar depois dos ravers. Só pode. Nem a câmara limpa nem os proprietários apresentam queixa. Isto quando há má vontade...








Atentado ambiental? Risco ecológico? Onde?  Tudo impecavelmente limpo. Valeu o civismo dos festivaleiros e a eficácia dos serviços camarários de Ferreira... e de Alcácer? Há quem jure a pés juntos que Alcácer foi dar uma mãozinha. Resta saber porque carga d'água.






Quanto ao ponto de recolha fixo, é o que se vê. Sem comentários.

segunda-feira, Setembro 08, 2014

«Acidente com uma mota mata jovem de 17 anos»


 «Cerca das 11.00 horas, a vítima, Fernando Jorge Alvarenga, residente em Torrão, Alcácer do Sal, que se encontrava a passar férias na casa dos avós em Carvalhais, Mirandela, seguia numa mota quando, por razões ainda por apurar, entrou em despiste vindo a embater com violência num poste de iluminação».

«Está prevista a deslocação de dezenas de pessoas, no autocarro da Junta de Torrão, para participarem nas cerimónias fúnebres».

Fonte: Onda Livre FM



P.S. - À família enlutada, o autor do "Pedra no Chinelo" endereça as suas mais sinceras condolências.



domingo, Setembro 07, 2014

Praça Bernardim Ribeiro: Caixa aguarda reparação há semanas

Apesar de estar situada na Praça Bernardim Ribeiro, em pleno centro da vila do Torrão, esta caixa telefónica, danificada há semanas, permanece nesse estado sem que até hoje tenha sido reparada. A reparação é da responsabilidade da Portugal Telecom mas para que esta proceda ao arranjo terá que em primeiro lugar ter conhecimento de causa. Competia à Junta de Freguesia do Torrão alertar quem de direito para esta situação, coisa que aparentemente ainda não fez apesar de tal facto já se verificar há imenso tempo. Será que ninguém vê? Uma coisa destas em pleno coração da vila dá uma imagem de degradação e de desleixo absolutamente desnecessária. Resta saber até quando.







sábado, Setembro 06, 2014

A passadeira invisível

E já que de assuntos rodoviários estamos a tratar temos mais uma made in Torrão. Há uns meses largos foi aprovado em reunião de Câmara a colocação de passadeiras em lugares onde se impunha que estas ali estivessem nomeadamente na Rua de Beja.
No início do Verão, vai para quase três meses, os serviços municipais procederam à colocação da respectiva sinalização vertical. Faltava apenas pintar a passadeira, coisa que se iria fazer nos próximos dias. Puro engano. Passadas semanas, meses, os sinais estão lá mas as passadeiras nem vê-las. A não ser que tenham sido pintadas com tinta invisível. 
Eu não sei se isto é burrice, se é esquecimento, se é incompetência ou se é tudo isso, o que sei é que esta freguesia e este concelho são cada vez mais um caso de estudo e um caso clínico.

NÃO SE VÊ DESTAS COISINHAS EM LADO NENHUM. VÊ-SE AQUI!  
NADA QUE SURPREENDA QUEM JÁ VIU DE TUDO. O QUE IMPORTA É A CONTA BANCÁRIA DOS DE SEMPRE IR ENGORDANDO.













Camuflagem rodoviária

A estrada Torrão-Alcáçovas é só mais uma em que há incúria. A limpeza das bermas não se fez o que faz com que haja sinais de trânsito camuflados pela vegetação e a visibilidade seja reduzida. E assim são as condições rodoviárias na freguesia do Torrão. É só mais uma.