segunda-feira, Outubro 20, 2014

Mais faz quem quer do que quem pode

Tens tudo e eu não tenho nada.
Eu sem nada faço tudo
e tu com tudo não fazes nada.
Mário Silva



Mês e meio depois do assunto ter sido abordado aqui, eis que a caixa da PT que está situada na Praça Bernardim Ribeiro e que se encontrava danificada, finalmente foi reparada.
Mais uma vez o Pedra no Chinelo foi absolutamente decisivo na resolução do caso pois este chegou a quem de direito. Alguns dias depois da nossa postagem fomos contactados via e-mail por responsáveis da PT com o objectivo de lhes ser facultada mais informação.








Como aqui a transparência não é palavra vã e para que não passe a ideia de presunção e de que o papel do Pedra no Chinelo foi sobrevalorizado aqui estão os e-mails trocados. 


















Perante as evidências pergunta-se, afinal para que servem certas entidades?
É caso para dizer, mais faz quem quer do que quem pode.

Mais uma vez, o antes e o depois. Os resultados aí estão. Contra factos.


ANTES
7 de Setembro de 2014




DEPOIS
20 de Outubro de 2014


Torrão: Buracos nas ruas multiplicam-se como cogumelos

Para além da Rua do Relógio também na Rua de Santa Maria, um buraco de dimensões consideráveis, como mostram as imagens recolhidas na manhã de hoje, se encontra ali sem que os serviços municipais tomem qualquer medida.
Os buracos do Torrão, a multiplicarem-se como cogumelos pelo asfalto das ruas. Para quem não acredita, as imagens aí estão para o comprovar. Quem ainda assim não crer que veja in loco. Ele está lá e certamente não foge.






Alcácer lembra os combatentes portugueses

Teve lugar no passado Sábado, em Alcácer do Sal, junto ao monumento dedicado aos combatentes do concelho que morreram na I Guerra Mundial e na Guerra do Ultramar, na Avenida dos Aviadores Gago Coutinho e Sacadura Cabral, uma cerimónia de homenagem aos combatentes portugueses, inserida na evocação do primeiro centenário do eclodir a I Guerra Mundial, organizada pelo Núcleo de Alcácer do Sal da Liga dos Combatentes, onde foi descerrada uma lápide evocativa da efeméride, conjuntamente pelo presidente do Núcleo de Alcácer do Sal da Liga dos Combatentes e pela vereadora Ana Soares.
As honras militares estiveram a cargo de uma força de fuzileiros. 
Apesar de estar prevista a presença do Presidente da Câmara, Vitor Proença, o qual faria uma alocução, este não compareceu por estar presente na cerimónia de entrega dos certificados de mérito aos melhores alunos do concelho, que decorreu no Salão Nobre da Câmara Municipal, à mesma hora, indo em sua representação a vereadora das Obras Municipais, Ana Soares.
O evento contou com as intervenções do capelão do Exército, do presidente do núcleo local da Liga dos Combatentes e foi ainda lida uma mensagem de Cavaco Silva, Presidente da República.
Apesar de estar prevista também a intervenção do presidente da câmara, a sua substituta não proferiu qualquer discurso.





Intervenção do capelão do exército




Intervenção do presidente do Núcleo de Alcácer do Sal da Liga dos Combatentes

Leitura da mensagem do Presidente da República





Descerramento da lápide evocativa do centenário do início da I Guerra Mundial







Carta de criança emociona nas redes sociais

Uma carta de uma criança de dez anos está a emocionar Alcácer do Sal e tornou-se viral nas redes sociais despertando a emoção e indignação de muitos cibernautas e gerando uma enorme corrente de solidariedade. Uma menina de nome Érica, que reside no Barreiro e que foi afastada há nove meses do irmão, de seu nome Rodrigo Daniel, que celebra hoje, dia 20 de Outubro, o seu quinto aniversário e que alegadamente se encontra em Alcácer do Sal aos cuidados de uma instituição, escreveu uma carta onde expressa saudades do irmão e o desejo de o reencontrar. A «maior prenda» que a Érica deixa bem explícito na carta é que alguém desse, em seu nome, um beijinho e um abraço «muito apertado» ao irmão. A menina pede ainda que transmitam ao irmãozinho que ela não o esqueceu e não o vai esquecer.
A criança remata convictamente a carta expressando que «somos irmãos e ninguém tem o direito de  nos separar» e promete que quando atingir a maioridade o irá procurar.
Ambas as crianças terão sido retiradas aos progenitores, pela Segurança Social, mantendo-se separadas desde então.
Vital Mirra, director da rádio online RSA - Rádio Salácia Alcácer, tem sido uma das pessoas que mais tem mostrado solidariedade e dado a cara pela causa de Érica, revelando-se incansável e desdobrando-se em contactos desde que soube do caso. Vital Mirra deslocou-se inclusive à residência onde no entanto ninguém mostrou disponibilidade para confirmar que o Rodrigo ali se encontra tendo no entanto obtido a confirmação por outras fontes que vão de encontro ao que a Érica afirma na sua missiva e que a criança de facto se encontra em Alcácer do Sal aos cuidados de uma instituição. O radialista mostra toda a sua indignação e revolta no Facebook. «Isto é vergonhoso, o que estão a fazer às crianças... Por favor ajudem-me; denunciem esta injustiça. Duas crianças de 10 e de 5 anos separadas sem nem sequer se poderem abraçar. Porca a nossa justiça».
A frieza, crueldade e desumanidade da burocracia, da Lei e da justiça a sobrepôr-se aos sentimentos com a agravante de serem os sentimentos de duas crianças.
É inacreditável como em pleno século XXI, com toda a tecnologia e meios de comunicação não se consiga algo tão simples e básico como pôr estes dois irmãos em contacto, algo que está à distância de um clique. Saberão por acaso tão doutas sumidades o que é o Skype?



sábado, Outubro 18, 2014

PENSAMENTOS MANHOSOS – Salada Mista

Algumas pessoas que felizmente me vêm lendo vão-me chamando a atenção quer para vários e determinados temas como para as abordagens pouco profundas dos “Pensamentos Manhosos”.  Eu claro que agradeço as chamadas de atenção mas tenho a alegar em minha defesa que:

1- Considero-me um semi-analfabeto, auto-didacta, apartidário, livre e independente.

2- Não é minha intenção dar soluções que não tenho nem tenho pretensões a não ser realmente pensar e escrever o que penso.

3- Tento contagiar as outras pessoas a pensar tipo: se este “esparveirado” escreve eu também consigo. Por isso não tenham preguiça e quem não conseguir falar, tente pelo menos escrever que ficamos muito bem depois de o fazer porque enquanto a palavra escrita tem o valor de ficar vincada, a palavra dita esté sempre sujeita a: ao “ah e tal eu não disse isso!” e às etiquetas do “politicamente incorrecto”. Aqui não; fica escrito e depois até se poder corrigir enquanto a palavra dita “saiu” e já lá vai.

 4- Não tenho vergonha de ter de mudar e, obrigado pelas evidências, ter de pedir desculpa ou mudar uma opinião. Só os burros não mudam e eu ainda não cheguei a esse estado.

Posto isto e continuando com os “Pensamentos Manhosos” dou muitas vezes comigo a pensar: E se não houvesse corruptos? E se não houvesse ladrões? E se não houvesse desonestos? E se não houvesse Políticos traidores à Pátria, aos cidadãos e aos ideais? O Mundo seria um caos. Não eram precisos juízes, não eram precisos polícias para prenderem os ladrões, não precisávamos de andar sempre com “um olho no burro e outro no cigano” por causa dos desonestos… nem eram precisas pessoas para votar eleições políticas! Viveríamos numa sensaboria. Ora bem, passa-se o mesmo com o Estado Islâmico. Sem raptos, sem prisioneiros, sem armas, sem cabeças para cortarem e sem pessoas a quem aterrorizar, a vida deles seria um caos. Nós, sociedades ocidentais, de há algumas centenas de anos a esta parte temos vindo a criar um tipo de sociedade baseada em princípios que valerão o que valem mas são os nossos, nos quais acreditamos e que estamos a ver serem destruídos todos os dias, afastando-nos cada vez mais da Paz, do Pão, da Habitação, da Saúde e da Educação. Mas não somos nós que nos estamos a desviar do caminho como nos pretendem fazer crer. Alguém o está a fazer a mando de outro alguém. Os nossos inimigos moram e convivem tranquilamente connosco. São aqueles traidores que negoceiam com os países onde não se respeita nada nem ninguém. Traiçoeiros que apoiam a Malala, dizem que estão contra o que lhe fizeram e depois negoceiam com o Paquistão. E com a Índia. E com a União Sóviética a quem deixaram de vender botões para as calças para parecerem que os estão a boicotar comercialmente. E dão dinheiro ao Hamas para Israel ter mais casas para derrubar, que por sua vez compram as armas aos americanos e chineses. Continuam a fomentar experiências em laboratórios para que na altura em que se encontrarem encurralados, porque o vão estar um dia, basta apenas largar um Èbola, uma SIDA, uma peste qualquer e em 10 minutos vão destruir milhões de forma a que só cá fiquem os que lhes fizerem falta. E os Orçamentos de Estado que continuam a dispensar dinheiro para a Ciência da qual depois só uma minoria pode usufruir. Um pobre com um cancro tem 1 ano de vida - se tiver e se precisarem dele para mais experiências. Um rico vive uma eternidade com o mesmo. Já pensaram que a profissão mais frustrante deve ser a de médico? Estudam uma vida inteira para depois passarem essa mesma vida a “atamancar” a vida dos outros porque não têem meios de vencer a morte ?
Isto que eu aqui escrevi hoje, será uma cabeça de alfinete que caíu mesmo no centro do Oceano Pacífico. Esta salada de pensamentos reflete um pouco a minha desordem tipo: Toco guitarra, toco piano, gira-disco, campaínhas de porta, canto, assobio, escrevo letras, escrevo música e não faço nada destas coisas em condições. Mas sou persistente. A melhor definição que encontro para isto é ”Polivalência de Pensamentos Manhosos”.
Realmente há pessoas que só têem “pensamentos manhosos”.

Uma boa semana para todos e pensem.

Jorge Mendes

Bruxelas, 14/10/2014

Curso de teatro no Torrão


Vai decorrer no Torrão, terra com tradições na arte de Molière nomeadamente ao nível do teatro amador, um curso de teatro, entre os dias 1 e 29 de Novembro na Sociedade 1º de Janeiro Torranese. O curso será orientado pelo actor e encenador Olavo Nóbrega.

Imagens que valem mais que mil palavras

Foi já há sete meses que alertamos para o facto da tampa caixa de derivação do lago que se situa em plena Praça Bernardim Ribeiro, «apenas» o centro da vila do Torrão, estar danificada e o acesso aos fios eléctricos ser fácil. Ainda assim, nada foi feito tendo a situação se agravado com a tampa a desaparecer deixando os fios eléctricos completamente expostos.
Se a decisão de mudar uma simples tampa de plástico de uma caixa eléctrica demora meses, imagine-se o resto. Será este o «trabalho fantástico» feito na freguesia do Torrão? As imagens não mentem. E tudo permanece igual.
De referir que na última assembleia de freguesia foquei este assunto, merecendo do senhor presidente da junta a desconcertante resposta de que a culpa era daqueles que vão mexer para tirar fotografias - referia-se à reportagem anterior sobre o assunto
Quem diria, agora temos um Pedro Paredes - especialista em respostas desconcertantes - só nosso. Qualquer semelhança é uma triste coincidência.
Teimosia? Casmurrice? Imbecilidade? Incompetência? Seja como for, é mais do mesmo. Não há dúvida, uma bonita imagem no centro da vila do Torrão já para não falar do perigo.
Pergunta-se, fica assim? Até quando?
Siga!








sexta-feira, Outubro 17, 2014

Perigo na Rua do Relógio


Um buraco de dimensões consideráveis encontra-se na Rua do Relógio há já bastantes dias sem que os serviços municipais se tenham ainda dado ao trabalho de o tapar ou sequer sinalizar. Um perigo para os transeuntes especialmente idosos.
Também os automóveis que ali passam podem sofrer alguns danos. Recomenda-se pois, à falta de melhor, que tanto peões como automobilistas circulem com atenção na Rua do Relógio, uma das ruas principais do Torrão, saliente-se.
E agora, fica assim?
Seis meses depois da «mega-operação» de limpeza e asfaltamento de buracos na vila do Torrão eis que tudo volta a ficar da mesma.

Local preciso onde está situado o buraco

Uma colecção de pedras da calçada vai-se acumulando


As dimensões do buraco aqui em pormenor

quinta-feira, Outubro 16, 2014

Iluminação: Pedra no Chinelo decisivo mais uma vez

Bastou apenas um dia, depois da publicação no nosso blog, para que o caso da luminária caída desde Domingo junto ao depósito da água tivesse resolução e o candeeiro sido recolhido.
Recordemos que o candeeiro tinha caído com as fortes rajadas de vento que se fizeram sentir durante o passado Domingo, ali tendo permanecido desde então. Apesar da queda, a luminária encontrava-se electrificada.





Confira abaixo o Antes e o Depois





Resolução idêntica teve o caso da lâmpada fluorescente nas traseiras do edifício do mercado municipal do Torrão. Ainda assim, uma situação que seria resolvida em poucas horas, demorou  um mês a resolver.







ANTES
5 de Setembro de 2014





DEPOIS
16 de Outubro de 2014