sábado, abril 25, 2015

THE PERFECT STORM - Lisboa: A ira de Deus

Depois das imagens que se tornaram virais nas redes sociais onde está retratado o Terramoto de 1755 eis aqui o (excelente) documentário na íntegra produzido pelo Smithsonian Channel.
Na manhã de Sábado, dia 1 de Novembro de 1755, Dia de Todos os Santos, um violento sismo, um tsunami e a propagação catastrófica de um incêndio de proporções bíblicas deixam Lisboa, capital do vasto Império Português de joelhos.
A anatomia do desastre e a radiografia dos acontecimentos aqui retratados. O Terramoto de 1755 como nunca ninguém o viu.

Escavações arqueológicas na passagem do canal do Alqueva nos arrabaldes do Torrão

 A obra do canal de condução de águas provenientes da Barragem do Alqueva está neste momento a escassas centenas de metros do Torrão próximo da Fonte da Rata. 
Numa parte do troço foram contudo achados alguns vestígios que estão a ser escavados por uma equipa de arqueólogos. Algumas fontes referem que foram encontrados ossos. O que despertou a atenção foi no facto de no substracto saibroso aparecerem partes esburacas que estavam preenchidas com outro tipo de solo.


As obras em curso


 Vista das obras do canal de Alqueva






 Os vestígios encontrados e que motivam a atenção dos arqueólogos

 Como se pode ver, no subsolo saibroso aparecem estranhos pontos de outro tipo de solo




 Isto é que era escusado. Estas oliveiras poderiam sempre ser trasladadas.


A Fonte da Rata com o Torrão em pano de fundo

quarta-feira, abril 22, 2015

Contas do município voltam a aquecer reunião de Câmara



O ponto da ordem de trabalhos referente à Prestação de Contas relativas ao exercício do ano de 2014 voltou a aquecer uma reunião de Câmara com o PS a acusar a maioria PCP de descontrolo das contas do município e a maioria a acusar o anterior executivo socialista de gestão danosa. A habitual «troca de galhardetes» entre o Presidente da Câmara, Vitor Proença e a Vereadora da oposição, Isabel Vicente teve mais uma vez lugar na reunião de Câmara desta manhã com a autarca a acusar a maioria PCP de conseguir uma redução da despesa da ordem de 1 milhão e 700 mil euros à custa da redução de apoios sociais e de apoio a instituições, e por outro lado de ter levado a um aumento da dívida a fornecedores e a um aumento dos encargos com prestações de serviço.
A resposta da maioria não se fez esperar com o Vereador Manuel Vitor a abrir as hostilidades refutando os argumentos da oposição. Para o vereador comunista, o aumento da despesa deve-se a "dívida escondida", nomeadamente a factura das Águas do Alentejo que não foi liquidada e a dívida à Assembleia Distrital, da ordem dos 315 mil euros. "Estamos a pagar as dívidas da dívida escondida mas há-de haver obra", referiu.
A vereadora socialista refutou no entanto as acusações referindo que a dívida à Assembleia Distrital só venceria após Outubro de 2013, período em que o novo executivo tomou posse pelo que a responsabilidade seria já do novo executivo.
Por sua vez o Presidente da Câmara refere que o aumento dos encargos com pessoal deve-se à internalização dos funcionários da EMSUAS e que não é verdade que as instituições não são apoiadas dando como exemplo os protocolos celebrados, algo que no passado "não era feito e que constituía uma ilegalidade" e que outras instituições, como a Santa Casa da Misericórdia do Torrão deixou de receber verbas da Câmara porque a Segurança Social passou a ficar com esse encargo. Vitor Proença revelou ainda que chegou recentemente à Câmara um inquérito do Tribunal de Contas  a pedir justificação de "uma série de irregularidades tais como falhas, violações e omissões" referentes ás contas dos anos de 2010, 2011 e 2012 e que "é o bom nome do município que está em causa". O edil acusou ainda a vereadora oposicionista de mudar o discurso tendo um discurso quando é poder e outro na oposição. Vitor Proença responsabiliza ainda os cortes sofridos nas receitas com a diminuição das transferências de capital do poder central, uma "diminuição brutal das verbas do Orçamento de Estado" classificou o autarca referindo ainda que o município teve que "meter um travão" sob pena de endividamento. Vitor Proença referiu ainda as somas resultantes de fundos europeus que tiveram que ser devolvidas devido a erros do anterior executivo algo que Isabel Vicente desvalorizou referindo que o município sempre foi bom pagador e que se este recebe milhões dos fundos europeus não é por devolver 100 mil euros que isso tenha um impacto significativo no balanço das contas.
A proposta acabou por ser aprovada por maioria com 3 abstenções das eleitas do PS.

Descubra as diferenças


29 de Março de 2015 





 22 de Abril de 2015

E não, não foi o temporal. O temporal não pode servir de desculpa para tudo e mais alguma coisa. É desmazelo mesmo.
O que é facto é que o passeio vai-se deteriorando. Daqui a pouco está intransitável.

segunda-feira, abril 13, 2015

Bombeiros de Alcácer do Sal inauguram novo quartel

A cerimónia de inauguração do novo quartel dos Bombeiros Mistos de Alcácer do Sal decorreu ontem, Domingo, dia 12 de Abril, a partir das 15.30h e contou com a presença da Ministra da Administração Interna, Anabela Miranda Rodrigues. Na cerimónia estiveram ainda presentes outras entidades, entre eles, deputados dos grupos parlamentares do PCP e do PSD, o Presidente da Autoridade Nacional Protecção Civil, o Comandante Operacional do Agrupamento Distrital Sul, a Comandante Operacional Distrital de Setúbal, o Presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses e o Presidente do Conselho Executivo da Liga de Bombeiros Portugueses bem como muitos populares.
Para o Presidente da Direcção da Associação Humanitária dos Bombeiros Mistos de Alcácer do Sal, António Balona, Fez-se história em Alcácer do Sal!".  "Hoje inicia-se um novo ciclo na vida da cidade e dos bombeiros”, referiu.
Para além de António Balona, discursaram António Espada, Presidente da Assembleia Geral da Associação; Valdemar Gonçalves, Comandante do Corpo de Bombeiros de Alcácer do Sal; Jaime Marta Soares, Presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses; Vitor Proença, Presidente da Câmara Municipal de Alcácer do Sal e por fim, Anabela Rodrigues, Ministra da Administração Interna, que salientou ser esta uma data marcante para a Associação Humanitária de Bombeiros Mistos de Alcácer do Sal, que passam a ter uma infraestrutura de vanguarda com um ganho inegável ao nível da comodidade e bem-estar”. A ministra falou ainda dos “desafios exigentes e da motivação e dedicação incondicional dos bombeiros à causa que servem.
Já o anterior Presidente da Câmara Municipal de Santiago do Cacém, agora autarca em exercício em Alcácer do Sal, Vitor Proença, ao invés de pôr uma pedra no passado num dia de união e de felicidade para os alcacerenses e em que todos os intervenientes do processo - uns mais que outros e com todas as vicissitudes que se conhecem - contribuíram para que este momento fosse uma realidade, preferiu invocar os obstáculos e as peripécias desde o início do projecto até à inauguração da infraestrutura, não resistindo à tentação de proferir um discurso de cunho marcadamente partidário, mais virado para consumo interno do que para aquilo que a ocasião exigia fazendo questão de lembrar que para trás ficou o tempo do primeiro projecto, o tempo da primeira candidatura com o forte apoio da autarquia de então; onde enquanto vereador da Protecção Civil pontificava o actual Presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Mistos de Alcácer do Sal, António Balona, e Rogério de Brito como Presidente da edilidade. Para trás ficou o tempo do projecto aprovado pela Autoridade Nacional de Protecção Civil entregue à Câmara a 30 de Abril de 2006 para emissão de parecer favorável por parte da Câmara de então, o qual só viria a acontecer em 2009, três anos depois, acarretando perdas de tempo e de financiamento. Para trás fica também o tempo de dificuldades com uma das empresas contratadas, o tempo de candidatura a financiamento comunitário e a intervenção empenhadíssima de directores e comando da associação de bombeiros. Para trás ficou também o tempo de apoios diversos, de um financiamento comunitário ao Programa Operacional de Valorização do Território e também da Câmara Municipal, em alguns momentos insuficientes face às exigências que um projecto destes acarretava”.
Prossegue o autarca, referindo o seu intrigante e curioso interesse em particular que tinha pelo desenrolar dos acontecimentos em Alcácer do Sal apesar de estar em funções em Santiago do Cacém ao referir que “há 4 anos atrás, enquanto cidadão que seguia com interesse as obras do novo quartel, sempre julguei ser possível com um apoio reforçado do município, concluir rapidamente a obra sempre supondo que tudo seria feito pelo município para que se concluísse a obra em 2012. Os bombeiros mereciam, a situação e as necessidades assim exigiam. Tal, infelizmente, não aconteceu, nessa altura. Perderam-se mais 3 anos”.
 Vítor Proença concluiu desfiando o rol dizendo que “foi por essa razão que entendemos, e entendi, ser decisivo e incontornável que um novo executivo camarário, fosse quem fosse a presidi-lo, em início de 2014, tivesse de apostar forte mal iniciasse funções, no apoio à associação de bombeiros tornando-se num parceiro activo dos bombeiros no processo de conclusão das obras. Foi isso que fizemos, arregaçando mangas e disponibilizando um apoio extraordinário de cento e cinquenta mil euros acrescido do apoio corrente estabelecido em protocolo para que fosse dado o grande apoio que os bombeiros e as obras assim o exigiam”.
A cerimónia prosseguiu com o descerramento e bênção da placa, pelo pároco local, a visita às instalações e um Porto de Honra.




 O novo quartel dos bombeiros de Alcácer do Sal, inaugurado ontem

Formatura em parada esperando a Ministra da Administração Interna, Anabela Miranda Rodrigues


 Vitor Proença, Presidente da Câmara Municipal de Alcácer do Sal na recepção dando as boas-vindas à Ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues. 
Foto: Câmara Municipal de Alcácer do Sal

Vitor Proença, ladeado por Valdemar Gonçalves, Comandante do Corpo de Bombeiros de Alcácer do Sal, e António Espada, Presidente da Mesa da Assembleia Geral da Associação Humanitária dos Bombeiros Mistos de Alcácer do Sal, apresenta António Balona, Presidente da Direcção da Associação Humanitária dos Bombeiros Mistos de Alcácer do Sal (e também Presidente da Assembleia Municipal de Alcácer do Sal), à Ministra Anabela Rodrigues.
Foto: Câmara Municipal de Alcácer do Sal




 Anabela Rodrigues e Valdemar Gonçalves, apresentando-se aos bombeiros em parada


 A Ministra da Administração Interna presta revista aos bombeiros em formatura

Saudação no fim da revista


 António Balona, Presidente da Direcção da Associação Humanitária dos Bombeiros Mistos de Alcácer do Sal no uso da palavra

Anabela Rodrigues no uso da palavra


 O Porta-Estandarte e respectiva escolta avançam rumo à tribuna para a imposição da Medalha de Mérito de Protecção e Socorro no grau de Ouro e Distintivo Azul

A imposição da insígnia no estandarte da corporação, pela Ministra Anabela Rodrigues
Foto: Câmara Municipal de Alcácer do Sal






Momento em que a placa de inauguração é descerrada pela Ministra da Administração Interna e pelo edil alcacerense
Foto: Antena Miróbriga


O momento da bênção da placa pelo pároco de Alcácer do Sal, Padre Ricardo Lameira
Foto: Câmara Municipal de Alcácer do Sal

Grande plano da placa acabada de descerrar

quinta-feira, abril 09, 2015

Baixa qualidade dos gestores portugueses

Assembleia Geral, programa de ontem, dia 8 de Abril, que passou na Económico TV.

Vejam este programa; vejam! Façam um favor a vós próprios, gente de bem. Ainda para mais a clareza com que fala o Professor Carlos Paz não deixa margem para dúvidas.

Oiçam o que ele diz e oiçam também o que dizem as pessoas que ligaram para o programa. Toda a gente; do Minho ao Algarve, de todas as faixas etárias, com mas mais variadas habilitações. Todos sem excepção dizem sempre, em todo o lado, as mesmas coisas. Eu poderia tirar aqui um sem número de exemplos e frases. Mas não faço. Oiçam e certamente algumas vos serão familiares pois eu uso exactamente o mesmo tipo de expressões, toco exactamente nos mesmos pontos.
ABRAM OS OLHOS! NÃO PODE SER QUE TANTA GENTE A DIZER EXACTAMENTE AS MESMAS COISAS, ESTEJA ERRADA! NÃO É MÁ LÍNGUA, NÃO É MÁ VONTADE. É UMA EVIDÊNCIA ATROZ. ABRAM OS OLHOS, USEM A CABEÇA E CAIAM NA REALIDADE. PARA VOSSO PRÓPRIO BEM!



sexta-feira, abril 03, 2015

Torrão: Parte do betão do depósito da água cai deixando exposta a armadura

O depósito da água do Torrão apresenta patologias preocupantes. Parte do betão do reservatório caiu na passada Quarta-feira deixando a armadura exposta. É visível ainda que esta apresenta sinais evidentes de corrosão e oxidação (ferrugem).
De referir que a estrutura, em betão armado, foi construída nos anos 50 e deste modo ronda os sessenta anos, precisamente o período de durabilidade do referido material. O tempo de vida do betão é da ordem dos 50 a 60 anos; entendendo-se por tempo de vida o período durante o qual o betão mantém as suas propriedades e como tal sem necessidade de reparações. Como esse limiar foi atingido é expectável que doravante as patologias na estrutura se comecem a manifestar e a intensificar cada vez mais.









As imagens não deixam margem para dúvidas. Pode ver-se a falha provocada pelo descolamento do betão e a armadura exposta




Os pedaços de betão no chão nas proximidades. Na foto de cima é visível a marca da armadura