sábado, agosto 26, 2006

Figuras pitorescas do Torrão II







Eram em número substancial e qual delas a melhor mas quis o destino que, ao que dizem, é fatal, o disco do meu computador tivesse «ido pelos ares» e como consequência todos os meus dados não ficaram apenas seriamente comprometidos antes ficaram de todo irrecuperáveis. Mas agora voltei a atacar e já não caio nessa. Assim lá vai:
Apresento-vos a segunda figura pitoresca do Torrão - Quim Pestana, mais conhecido por NERU.
Tinha andado a «empalhar» à espera de conseguir as fotos com a imagem do seu «modus vivendi» e o que ganhei foi o que disse. Foi uma pena; as fotos eram do mais hilariante que havia mas não há crise pois estas não lhe ficam atrás! Quando eu tiver mais...

4 comentários:

Anónimo disse...

porque não tiras fotos ás figuras piturescas da tua familia e culocas no blog?por exemplo a do teu tio António mais conhecido plo"moco". com a profissão que tens e com o vocabulário qb, assim não te safas ...esperto-parvo!!!

zé carlos disse...

pois tens razão anonimous!! o elaborador deste blog mais parece um emplástro que anda por ai aos assobios armado em parvo e onde chega para deixar o correio nem bom dia diz ás pessoas...como tu dizes é mesmo esperto parvo.

santos disse...

ó zé carlos!!! és mesmo palhaço, limitate a comentar o blog e não ofendas qem tem capacidade para fazer um blog para divulgar a cultura desta vila do torrão que bem merece,por isso o emplástro aqui és tu!!

Paulo Selão disse...

Saudações

Caro anónimo já tirei. O Quim ainda é meu primo. Se não sabia fica agora a saber. Eu não tenho desprezo de o dizer e não lhe faço o que certa gente lhe faz. Essa é que é essa! E já agora não se esconda atrás do anonimato. Vá lá, assuma-se! E para que saiba eu estou aberto a críticas... mas civilizadas. Só uma nota: Sem ofensa, escreve-se pitorescas, colocas e mouco. Quem chama parvo a alguém deve ter cuidado com estes pormenores!

Meu caro Zé Carlos tenha cuidado quando lhe apetecer assobiar não vá alguém pôr em causa a sua sanidade mental e se nunca me ouviu cumprimentar ninguém no decurso das AINDA minhas funções então deve consultar um Otorrino quanto antes e nem lhe recomendo uma lavagem aos ouvidos porque não tenho o hábito de insultar ninguém. Essa não é definitivamente a minha linguagem. No entanto devo dizer-lhe ainda que não sou obrigado a cumprimentar quem quer que seja. A minha função é entregar a correspodência e nada mais.

Conclusão: Aquilo que esperava dos meus conterrâneos era que reflectissem e comentassem assuntos mais importantes como os meus artigos sobre o terrorismo, o Iraque, a política, o país ou apenas e só sobre o Torrão como os recentes «Nesta terra não há nada que resista» I, II e III e não assuntos de «lana caprina». Mas enfim se a inteligência não lhes dá para mais...

Um abraço caloroso do vosso amigo Paulo.